Aprimorar a gestão de pousadas ribeirinhas no interior do Amazonas e qualificar empreendedores de turismo de base comunitária em Unidades de Conservação (UC) foi o objetivo do curso Laboratório de Hotelaria Ribeirinha, um treinamento de gestão de hotéis promovido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com AccorHotels para impulsionar o setor na região. Ribeirinhos donos de pousadas aprenderam durante três dias sobre gestão de hotéis, governança de cozinha e quartos, primeiros socorros, negócios, operacional, entre outros.
Ao todo, 18 comunitários proprietários e funcionários de nove pousadas ribeirinhas participaram do treinamento. Os empreendimentos turísticos ficam localizados em comunidades dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, uma Unidade de Conservação (UC) de 424 mil hectares que abrange os municípios de Itapiranga e São Sebastião do Uatumã e onde moram 390 famílias que são beneficiadas com ações de desenvolvimento sustentável promovidas pela FAS. Ao todo, 20 comunidades ficam situadas dentro da RDS Uatumã.
O curso Laboratório de Hotelaria Ribeirinha aconteceu em uma das unidades da AccorHotels em Manaus, o Novotel, no bairro Distrito Industrial, Zona Sul da capital. “Foi uma imersão de três dias que faz parte de um projeto maior entre a FAS e a Accor para incentivar o turismo de base comunitária. “Já tínhamos feito outras formações em gastronomia, noções de empreendedorismo e guia de pesca e aproveitamos a vinda dos comunitários a Manaus para aumentar o curso, que inicialmente seria de camareira e primeiros socorros”, explicou o coordenador de Empreendedorismo do Programa Bolsa Floresta (PBF) da FAS, Wildney Mourão.
As etapas do treinamento contemplaram primeiros socorros, resgates de emergência, reanimação cardiopulmonar; gestão em hotelaria e governança de quartos com atendimento ao cliente, recepção, organização de pousada, arrumação de camas e quartos; liderança de pessoas; jantar de negócios com agências de turismo; governança de cozinha com boas práticas para manuseio de alimentos, controle de qualidade, armazenamento de produtos, técnicas para montagem de mesa, apresentação de pratos e corte de frutas.
“Ao invés de levar um professor às comunidades, trouxemos eles para cá (Manaus) e usamos a estrutura e os colaboradores do Novotel. Os alunos, por exemplo, ficaram hospedados no hotel para vivenciarem o atendimento como clientes e, depois, participaram da gestão disso”, ressaltou Wildney Mourão. “O jantar de negócios, por exemplo, como o nome já diz, foi uma rodada de negócios em contato com uma agência de turismo para comercializar pacotes para o período do turismo no Uatumã, entre setembro e dezembro, período do ecoturismo, da pesca esportiva na região”.

Turismo de base comunitária

Um dos participantes do curso, José Monteiro, o “Papa”, é proprietário da pousada Mirante do Uatumã, que fica na comunidade do Livramento, na RDS Uatumã. Desde 2009 ele atua no setor de ecoturismo e de pesca esportiva do Uatumã, mas só há apenas cinco anos resolveu abrir o próprio negócio, a pousada do Mirante. Mesmo com longa experiência na área, ele comemorou a oportunidade de qualificar habilidades. Segundo ele, foi o primeiro curso que fez na vida voltado para o turismo.
“Está sendo uma experiência muito boa. O curso vai trazer um grande conhecimento para melhorarmos o atendimento da nossa pousada, melhorar a nossa culinária, melhorar a qualidade do nosso serviço”, enfatizou o empreendedor José Monteiro. “É a primeira vez que participo de um curso sobre turismo e todas as informações que absorvemos vão ser muito úteis para o nosso desenvolvimento”.
Segundo o comunitário, a região do Uatumã é conhecida por atrair um grande número de turistas devido ao ecoturismo e à pesca esportiva. Porém, segundo ele, os empreendimentos pouco beneficiavam as comunidades ribeirinhas. “Esses caras só ganhavam dinheiro e não ajudavam a comunidade. Apenas um ou outro contratava um piloteiro (piloto). Isso despertou na gente o potencial da região. Nós, por sermos moradores, tínhamos o direito de participar dessa atividade que gera renda. Hoje nós ajudamos 100% as comunidades”, comentou Monteiro.

Simplicidade ribeirinha

O gerente geral do Novotel, Daniel Betiol, reforçou a importância da parceria da AccorHotels com a FAS para incentivar o turismo de base comunitária no Estado. “É fundamental trazer a comunidade e a nossa cultura ribeirinha, a simplicidade e a autenticidade dos ribeirinhos, para dentro dos nossos hotéis. Nós já temos projetos de sustentabilidade, mas conseguir aumentar essa parceria e trazer, por exemplo, os artesanatos, a farinha e o próprio peixe amazônico para dentro do nosso hotel, para o nosso cliente experimentar, é importantíssimo”.
Por meio do Laboratório de Hotelaria Ribeirinha, conforme o gerente geral do Novotel, os comunitários empreendedores donos de pousadas puderam vivenciar os serviços desenvolvidos dentro de uma rede de hotéis, entender como é ficar hospedado num hotel de rede, como são os processos tanto na visão de cliente como na visão da gerência e, futuramente, terão a oportunidade de aplicar tudo isso dentro das comunidades, nas pousadas e restaurantes deles.

Empreendedorismo

O curso Laboratório de Hotelaria Ribeirinha é a etapa final de um projeto desenvolvido entre a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e AccorHotels, por meio do Programa de Empreendedorismo, para incentivar e impulsionar o turismo de base comunitária em Unidades de Conservação (UC) onde a FAS atua. Todo o projeto contou com o apoio da Associação de Moradores da RDS do Uatumã.

Leave a Reply